Entrevista a Jorge Azevedo Correia - Ursinho Bobó

2018

Dezembro

2017
2016
2015

Os Ursinho Bobó são uma das equipas históricas do Quiz em Lisboa, participam no Campeonato de Quiz de Cascata desde o primeiro jogo (uma das quatro que o fez e ainda joga no Campeonato), nestes 10 anos tiveram poucas faltas. Jorge Azevedo Correia, um dos fundadores da equipa e uma das personalidades mais memoráveis do Quiz de Cascata, deu-nos a oportunidade de o entrevistar antes do jogo que vão apresentar na próxima sexta-feira. Que Carlos Manuel (ou Zé Pingão) estejam sempre connosco!

 
 

Nos últimos anos queixaram-se de ter de fazer o jogo em Dezembro, este ano, mais cedo na época, fizeram um Quiz mais ao vosso gosto ou vai ser uma grande tourada (ou ambas)?

Sobretudo vai ser um Quizz autobiográfico e catártico. Será a oportunidade perfeita para ajustar contas com as equipas que fazem jogos que são apenas uma expressão dos gostos de cada um... Da mesma maneira que antes houve cascatas sobre Cabo Verde, Metro de Lisboa, as fórmulas químicas do ADN e outras monomanias a gosto do organizador, decidimos que as perguntas deste Quizz vão ser "Qual o meu livro preferido?", "Onde é que jantámos hoje?" ou "Quais as razões da minha intolerância à lactose?".

Têm habituado a audiência do Quiz de Cascata a grandes espectáculos musicais, este ano vamos ter o Tirapicos a cantar jazz?

Desta vez será um maravilhoso espectáculo de luz, cor, som e movimento. Vamos introduzir este último elemento como novidade. A terceira cascata será subordinada ao tema "Complete esta coreografia do Cirque du Soleil". O Tirapicos fará os passos iniciais da coreografia e caberá a um membro de cada equipa terminar os últimos cinco passos desse movimento. Estamos certos de que será pelo menos tão bem recebida como as perguntas sobre a tabela periódica efectuadas à nossa equipa.


Para onde caminha o Quiz? Depois de uma fase em que se apertou a dificuldade, achas que estamos a regressar à normalidade com quizzes com maior jogabilidade?

O problema nunca foi a dificuldade. O número de perguntas sobre os mesmos temas nos Quizzes é que é absolutamente anormal. Em cada dez, há três perguntas de "bonecos" e três de ciências. E essas 6 perguntas são de um nível de dificuldade que qualquer pessoa que não tenha formação na área, ou não tenha o Sheldon Cooper como ídolo e modelo a emular, poderá adivinhar. Se nós fizéssemos perguntas de nível 2 das nossas áreas (História, Direito, Ciência e Filosofia Política) com um nível remotamente similar às perguntas de Física ou Química que são habitualmente apresentadas (que constam dos programas de licenciatura ou mestrado dessas áreas), tínhamos quizzes a acabar com uma dezena de perguntas respondidas. Ou pior, respondidas sempre pelos do costume, ou seja, por pessoas com interesses e ocupações semelhantes às nossas. 
Acho que é essa a causa da perda de algum fulgor do "Cascata". Jogos repetitivos, em que mais do que a amplitude de conhecimentos se premeia a similitude dos mesmos com a do organizador. Lembro-me de uma altura em que respondíamos a qualquer pergunta sobre rock dos anos 70 com T-REX. Acertávamos em 40% dos casos...

Entre aqueles que têm saído do Quiz de Cascata por quem gostavas de criar um movimento de regresso? Porquê?

Interessa preservar a memória dos que não podem mesmo voltar. Os outros devem ter coisas melhores para fazer...


Sentes-te bem acolhido na Sociedade Musical Libertada ou gostavas de um espaço mais majestoso?

Gostaria de um local com um nome um bocado menos positivista. Mas o espaço é moderno, limpo, arejado. Um autêntico estádio do Euro2004, mas que já está pago...


Já andas neste campeonato há uma década, certamente te recordas de muitos momentos memoráveis, qual o que ocupa um lugar com maior destaque no teu coração?

Todas as aparições de Agnelo Dias Monteiro são uma dádiva insuficientemente apreciada pelos demais.Quando ele decide brindar-nos com os seus dotes vocais tenho sensações equiparáveis à nossa primeira vitória no Quizz, no longínquo ano de 2008. Quando entoa o seu cântico "Cada dia, um Natal" não posso deixar de recordar as nossas organizações dos quizzes de Dezembro dos últimos anos, em que tivemos o gosto de ver toda a gente a passar uma noite divertida, a cantar e a rir. Acho que essas são as memórias mais gratas.