Entrevista a Nuno Vitoriano - Feios, Porcos e Maus

2018

Dezembro

2017
2016
2015

Os Feios, Porcos e Maus são a equipa que organiza a jornada de Outubro do Campeonato de Quiz de Cascata, portanto fomos entrevistar um dos seus elementos: o Nuno Vitoriano. Já andou em várias equipas, já anda no quiz desde os tempos do saudoso Bar Quiz, é um dos quizeiros mais antigos do Campeonato. Amigo do seu amigo, uma pessoa com opiniões próprias e que diz tudo o que lhe sai da boca para fora, vejamos o que tem para nos dizer.


Não têm sido consensuais os jogos dos FPM, achas que este ano vão apresentar um jogo que vai agradar à maioria?

Embora seja o primeiro ano que apresente um jogo nesta minha nova equipa, a incógnita estará presente: poderá ser uma desgraça ou uma boa surpresa. O tribunal da Ajuda julgará o que apresentarmos nesta jornada.


Como fizeram o jogo, com um modelo pré-definido ou cada um a enviar perguntas a ver como corria?

O segredo é a alma do negócio, apenas posso adiantar que a reunião de preparação deste jogo durou 17 horas.


Já andas nos quizzes há muito tempo, achas que tem havido grande evolução no quiz?

Sim, cada vez mais participantes, novos modelos de jogo, livros publicados, campeonato nacional, mais locais disponíveis, sobretudo a nível regional. É altura de alguém com disponibilidade avançar para a criação de uma federação e de associações distritais, permitindo inclusive a obtenção de subsídios para viabilizar as competições. As redes sociais ajudaram a potenciar a divulgação do jogo, o que antes era para meia dúzia de nerds e viciados, hoje tornou-se uma prática comum, especialmente entre os universitários, mas os jovens há mais tempo continuam a andar por cá.


Conta-nos uma memória agradável deste tempo todo pelos quizzes?

Foram muitas. Desde os saudosos tempos das enchentes do bar Quiz ao pé do ISEG em que a minha equipa liderada pelo infelizmente desaparecido Miguel Maia, com a Ana, o Rafael e o Paulo Martins entre outros, ganhava jogos semana sim, semana não a par com os Cavaleiros do Apocalipse, às noites cerradíssimas de disputa na Academia da Ajuda, por vezes com 19 equipas que chegaram a acabar para lá das cinco da manhã, onde os whiskies ainda saíam a euro e meio, ou ao meu primeiro jogo clássico (2003) em que as primeiras pessoas que conheci foram o saudoso Rogério e o João Silva ainda com bigode.


O que ainda te motiva a participar no Campeonato?

É um hobby do qual gosto, como poderia ser outro qualquer. Posso dizer que faço parte da mobília, jogo desde o início e passei por 4 equipas. Este campeonato da Ajuda é a maior instituição do Quiz Nacional, oxalá dure muito tempo. Mas já não jogo tanto como antes, agora em média apenas duas vezes por mês. Há 10 anos eram 3 por semana.


Há alguma equipa que gostasses mesmo de ver regressar ou o que faz falta é sangue novo?

Os Zbroing e os Mineteiros do Apocalipse fazem falta ao campeonato. E claro os BMV a equipa onde passei mais anos, acabou de forma abrupta, mas pode ser que regresse um dia destes…


O que sugeres para tornar o campeonato melhor / mais atractivo?

Acho que é altura de acabar com o nível 3. E talvez não se justifique mandar neste atual modelo 3 equipas para casa ao fim do nível 1. Deveria haver apenas dois níveis com oito cascatas cada e manter a parte escrita.